Guia do Estomizado
                   

Guia do Estomizado

11 Aos Pais de Crianças Estomizadas

11.1 Seu filho e a estomia
11.2 Questões psicossociais
11.3 Questões de cuidado
11.4 Vida quotidiana

11.1 Seu filho e a estomia

Se você for o pai de uma criança estomizada, provavelmente terá muitas perguntas e preocupações. Quando o cirurgião disse que seu filho precisaria dessa cirurgia, sua primeira reação pode ter sido: "É essa a única escolha?" Sem dúvida, seu médico lhe assegurou que a estomia era necessária para salvar a vida do seu filho. Você pode ter sentido um choque. Pode ter perguntado a si mesmo: "Por quê isso aconteceu conosco?"

Conversar com um bom amigo, com o seu médico, com um religioso, uma enfermeira de estomia ou com os pais de uma criança que tenha uma estomia pode ajudar. Isso irá prepará-lo para ajudar seu filho a ajustar-se à estomia. Lide com seus próprios sentimentos primeiramente, então poderá dar a seu filho o apoio emocional que ele precisa.

Se você estiver se sentindo culpado ou responsável pela doença e pela cirurgia de seu filho, esse é um sentimento normal nos pais. Você poderá pensar que seus sonhos foram destruídos e poderá perguntar-se se o seu filho será capaz de fazer as coisas que os outros fazem. Muitos pais se preocupam com a duração da vida de seus filhos, com sua capacidade para trabalhar, para se ajustarem à vida com uma estomia e, mais tarde, com o casamento e uma família. Essas são preocupações normais de todos os pais em relação às principais mudanças na vida de seu filho.

Quando seu filho estiver no hospital, esteja lá sempre que possível. Estar em hospital e sofrer uma cirurgia são experiências assustadoras em qualquer estágio da vida. Nesse momento, seu filho está especialmente vulnerável e precisa sentir-se querido e seguro quanto ao seu amor. Sua presença lá o fará sentir-se confiante.

Esteja preparado para enfrentar suas sensações a respeito de ver o abdômen de seu filho sendo aberto com o conteúdo do intestino indo para uma bolsa. Sua primeira reação na presença do seu filho é de importância vital e deve ser tão positiva e casual quanto possível.

Se o seu filho tiver febre ou outros sintomas, não entre em pânico. Ele sofrerá todas as outras doenças e dores que outras crianças têm. Quando estiver em dúvida, chame seu médico.

11.2 Questões psicossociais

Quando seu filho começar a se recuperar da cirurgia de estomia, haverá muitas formas de você se mostrar como uma fonte de força e apoio.

Seu filho ou filha pode estar com medo de que seus jovens amigos e os parentes não desejem ficar por perto. A sua aceitação é necessária. Encoraje seu filho ou filha a lhe falar sobre esses sentimentos. Se você agir com abertura e naturalidade a respeito da estomia, seu filho o fará também.

Tente compreender como seu filho se sente. Seu filho precisa sentir que você entende como é ter uma estomia. Um excesso de simpatia, no entanto, não é bom e levará embora o senso de independência. Ouça, tente compreender os sentimentos, encoraje e aja com tato. É difícil não superproteger ou mimar uma criança que está se recuperando de uma cirurgia importante. Porque é tão fácil entregar-se aos seus sentimentos, seja tão firme quanto possível.

Se o seu filho for muito jovem, ele provavelmente aceitará a estomia mais facilmente do que você. A criança crescerá com a estomia e está se tornará natural para ela. Para um adolescente que está enfrentando todos os problemas relacionados com a puberdade e a adolescência, essa cirurgia pode surgir num momento muito difícil. As mudanças na imagem corporal provocadas pela estomia podem catalizar as tensões da adolescência. O adolescente pode se sentir sem atrativos, rejeitado e diferente por causa da estomia.

Você poderá perceber mudanças temporárias nos padrões de comportamento. Sua aceitação e apoio são especialmente necessários agora. Tente compreender os sentimentos e ouça as reclamações. Dê encorajamento para encontrar soluções realísticas para esses problemas.

11.3 Questões de cuidado

Demonstre interesse pelos cuidados de que seu filho necessita. Se ele tiver idade suficiente, você deverá encorajá-lo a ser independente nos cuidados. Seu filho poderá precisar de alguma ajuda e apoio no começo, devido à insegurança com os novos equipamentos, ou porque a criança pode estar fisicamente fraca e cansar-se com facilidade. Uma criança muito jovem pode ser ensinada a esvaziar a bolsa. Uma criança mais velha pode montar os equipamentos e aprender os passos para trocar a bolsa até que possa fazer sozinha o processo inteiro. Você pode querer usar um método de ensino que comece com seu filho ou filha assistindo você. Mais tarde, você poderá ajudar, ficando perto para dar auxílio apenas quando for necessário. Uma pessoa muito importante que pode ajudar no cuidado com o seu filho é a enfermeira de estomia. Essa é uma pessoa que recebeu treinamento especial para cuidar de uma estomia.

Esteja preparado para tentativas e erros ao fazer o cuidado da estomia de seu filho, ou ajudar a fazê-lo. Ocorrerão no começo algumas mudanças que não se repetirão depois. Há muitos ajustes na alimentação, problemas de pele, problemas com as bolsas e outros. A coisa importante a lembrar é que qualquer coisa nova exige experimentos e adaptação. Senso de humor e uma atitude positiva serão úteis.

11.4 Vida quotidiana

Seja flexível ao lidar com a adaptação de seu filho à escola e às situações da vida quotidiana. Se, no começo, acontecer de a bolsa vazar na escola, seu filho deve ir à enfermeira da escola. Você pode pegar seu filho para uma mudança de bolsa em casa, então ele poderá voltar à escola. Um jovem conta sua história: ele percebeu que sua bolsa estava vazando e tinha sujado suas calças. Ao invés de correr para fora da sala como qualquer outro teria feito, ele calmamente esperou que todos os demais tivessem deixado o recinto. Desse modo, ele espertamente evitou o embaraço e então telefonou para casa, a fim de que sua mãe fosse buscá-lo. Você pode querer falar com o diretor, com o professor do seu filho, com o professor de educação física e com a enfermeira para explicar as necessidades do seu filho.

Você descobrirá que seu filho pode participar de esportes, pode sair à noite, ir acampar e fazer todas as atividades de que ele gostava antes. Inicialmente parecerá difícil deixar seu filho sair sozinho. Discuta o que pode ser feito se algum problema acontecer enquanto seu filho estiver fora de casa. Trate-o do modo como trataria os seus outros filhos.

Converse com seu filho sobre como ele irá explicar a cirurgia aos demais. Ele poderá querer contar aos amigos mais próximos, aos parentes e conhecidos. Naturalmente, as pessoas ficarão curiosas. Uma vez que a cirurgia tenha sido explicada, existem grandes chances de que seu filho fique tão adaptado quanto estava antes. Ele provavelmente precisará duplicar a sua explicação. Se você discutir a estomia de forma natural com outras pessoas, seu filho também irá fazê-lo. Muitas pessoas desejarão saber o que esperar e como poderão ajudar.

Lembre seu filho de que é necessário ter consideração pelas outras pessoas. Limpar o banheiro depois do cuidado com a estomia é importante para manter a harmonia familiar. Você e seu filho estão enfrentando uma nova situação em suas vidas. Se a aproximação ocorrer com abertura, perseverança e senso de humor, você descobrirá que uma estomia não irá impedir seu filho de participar das atividades quotidianas. Os pais descobrirão que uma criança sadia com uma estomia pode ser outra vez uma criança feliz.

Voltar à Apresentação

                   
imagem fegest